Uma ótima opção para mulheres esquecidas, o anticoncepcional injetável pode ser a solução para quem adota como contraceptivo a forma hormonal. O anticoncepcional oral, ou a famosa pílula, ainda é o mais escolhido para evitar a gravidez e, normalmente, ele é usado durante um período de 21 dias com intervalo de 7 para pausa.

Porém, seu uso pode ser complicado para as esquecidas e o efeito prejudicado quando tomado em horários diferenciados. Se você é uma dessas, conheça o anticoncepcional injetável.

Esquecimento do Anticoncepcional Oral

Uma mulher que esquece a pílula mais de uma vez ao mês, deve pensar seriamente em conjunto com o seu ginecologista sobre outra forma de prevenção, e é aí que o anticoncepcional injetável entra em cena. Ele age da mesma forma que o anticoncepcional oral, com a vantagem de ser aplicado apenas 1 vez ao mês (anticoncepcional injetável mensal) ou, no caso de anticoncepcional injetável trimestral, de 3 em 3 meses.

Tanto a pílula oral como o anticoncepcional injetável usam hormônios para bloquear a ovulação. A diferença é apenas na forma com que são usados. A maioria dos anticoncepcionais injetáveis são aplicados pela primeira vez no primeiro dia da menstruação e, após esse período, aplicados novamente entre o 7º e o 10º dia do ciclo. Sempre contado à partir do dia de sangramento vivo da menstruação, o mesmo vale para anticoncepcional injetável de uso prolongado.

Anticoncepcional Injetável é Feito do Que?

Assim como o anticoncepcional oral, o anticoncepcional injetável pode ser feito à base de progesterona ou de estrogênio, que se usado durante todo o processo não deixa o ciclo ovulatório acontecer e a mulher ovular. Depois de aplicado, o anticoncepcional injetável libera pequenas quantias hormonais diárias com a finalidade de prevenir a gravidez indesejada.

O anticoncepcional injetável pode ser tanto à base de progesterona quanto de estrogênio, já a injeção trimestral é sempre à base de progesterona, assim, possui maior duração pois a absorção pelo organismo é mais lenta. Vale destacar que o anticoncepcional injetável à base de estrogênio tem um ótimo resultado quando a finalidade é reduzir os sintomas de TPM.

Contudo, um grande inconveniente são os escapes, que ocorrem devido à baixa de progesterona no organismo e ao aumento de estrogênio. Os escapes podem aparecer quando menos se espera e muitas vezes quando se está desprevenida sem um absorvente à mão.

IMPORTANTE: se tem dúvidas sobre qual método utilizar, converse com seu ginecologista e estude as melhores opções para você e seu organismo.

Vantagens e Desvantagens

Uma grande vantagem desse tipo de contraceptivo é a diminuição também de riscos de câncer de colo de útero e ovários. Mas podem ser maléficos a mulheres que têm hipertensão por ocasionar doenças vasculares.

O primeiro ciclo, tanto com a pílula oral como com injetáveis, deve ser preservado por haver ainda o risco de gravidez. À partir do segundo ciclo com uso contínuo, a mulher já estaria protegida de engravidar. Com uso de anticoncepcional trimestral, à partir da segunda semana já seria um prazo seguro pra manter relações sexuais apenas com anticoncepcional.

Injeção Anticoncepcional Engorda?

Muitas mulheres ainda têm resistência à anticoncepcional injetável pelo mito de que as faria engordar. E isso não é uma lenda, sabia? A desvantagem do anticoncepcional injetável à base de progesterona é que pode causar inchaços na mulher, dando a impressão de que engordou.

Normalmente, é um inchaço por retenção de líquidos, semelhante ao que acontece no início da gravidez. Essa injeção anticoncepcional à base de progesterona costuma ser usada após o parto e é muito eficaz em casos de amamentação. Além disso, anticoncepcionais à base de progesterona também podem ter como efeito colateral sintomas de gravidez, já que a progesterona é um hormônio presente na nesta fase.

O anticoncepcional injetável à base de estrogênio, por sua vez, é menos suscetível a esses inchaços, mas dependendo de como o organismo reage, pode acontecer de algumas mulheres engordarem ou incharem também. Mulheres que pretendem engravidar após o uso de contraceptivos injetáveis devem saber que pode levar de 3 a 6 ciclos para que o hormônio saia totalmente do organismo. Algumas mulheres ficam até 4 meses sem menstruar após deixar de tomar o medicamento e é normal que isso aconteça.

Quanto Custa?

A maioria dos anticoncepcionais injetáveis são bem acessíveis, custando em torno de R$12 a R$20 aplicadas diretamente na farmácia por um especialista (farmacêutico). Mas dependendo da região em que você mora, o valor pode ser mais barato ou mais caro. Outro fator que pode influenciar no valor é a marca, se genérica pode ser mais em conta.

Dúvidas das Leitoras:

Esqueci o dia de tomar o anticoncepcional injetável e agora?

Dependendo do tipo de anticoncepcional que você faz uso, existe uma tolerância de até 4 dias para aplicar novamente. Porém, se passar esse tempo deve-se esperar a menstruação, que provavelmente virá por privação de uso e aí sim aplicar novamente no primeiro dia de ciclo, protegendo-se enquanto isso para não engravidar.

Quanto tempo depois de parar de tomar o anticoncepcional voltará a ovulação?

O prazo para os ovários “acordarem” após se parar o uso do anticoncepcional injetável é de 3 a 6 meses. Algumas vezes pode perdurar até um ano. Porém, se houver ausência de menstruação por um período maior que 3 meses um médico deve ser consultado.

Durante o uso do anticoncepcional injetável tenho menstruado, menstruação fora de hora com aspecto de borra, isso é gravidez?

Em raros casos é gravidez. Na maioria das vezes é um escape usual da medicação. Porém, é possível que o uso prolongado do mesmo tipo de anticoncepcional leve a uma gravidez. Isso porque, com o organismo acostumado à quantidade e também ao tipo de medicação pode ocorrer uma ovulação inesperada, resultando em gravidez.

É legal pedir orientação para o seu ginecologista e ver se o anticoncepcional injetável é a melhor opção para você. Caso tenha medo de agulhas ou seja um problema grande aplicação de medicação por essa via, veja as demais formas de contracepção como adesivo, DIU e até mesmo implante anticoncepcional. O importante é você ficar segura com a forma adotada.

Veja também: Como Funciona o Ciclo Menstrual e Fases do Ciclo

Foto: Thomas Weidenhaupt

Para nós, credibilidade e transparência são essenciais. Por isso, nossos artigos são escritos e revisados por especialistas da área. Este artigo foi escrito e revisado por:
Nutricionista especialista em Fertilidade e Materno Infantil
CRN-3 55966

Graduada em Nutrição, pós-graduada em Nutrição Materno Infantil e com formação em Nutrição e Fertilidade. Possui, também, formação em Natural Chef (gastronomia funcional) e hoje é atuante na área clínica de atendimento nutricional às tentantes, casais, gestantes, lactantes, crianças e saúde da mulher.

Expert em Fertilidade

Tentante por 7 anos e agora mãe de 3, Patricia é autora e idealizadora do portal Trocando Fraldas e da marca Famivita. Já participou de diversos programas na TV, como o Hoje em Dia, Papo de Mãe, Jornal da Cultura, e já deu diversas entrevistas à rádio.