Ler mais histórias
Olá, meu nome é Stephanie

Essa é minha história

Conhecer agora


Depois da tempestade, vem a bonança

Quando somos crianças, nosso universo é complexo e cheio de curiosidades, para mim, não foi diferente. Desde pequena, mesmo sem entender muitas coisas, o maior mistério de todos e o mais encantador, era a maternidade. Partindo daí, fazia das brincadeiras de boneca um sonho, no qual cresci, amadureci, e busquei realizar.

Essa sou eu
Desejo de ser mãe

O casamento era meu verdadeiro sonho de princesa, e não foi diferente dos contos de fadas, eu realmente encontrei meu príncipe! Desde o início, optamos por ser abertos à vida e adeptos ao método de ovulação Billings, por motivos religiosos e interiores.

Passou-se um ano de casamento e aquele desejo de ser mãe não saia da minha cabeça e do meu coração. Embora as tentativas fossem constantes, nosso positivo não chegava. Porém, achávamos que talvez ela viesse de forma natural… e assim seguíamos.

Mais de um ano se passou, já estávamos dois anos casados e comecei a sentir que algo estava errado. Decidimos então que começaríamos as investigações no ano seguinte. Porém, no final do terceiro mês do ano 3 descobri a minha primeira gravidez, em 31 de março. Que alegria! Ficamos radiantes!

Algum tempo depois da descoberta, comecei com indícios de sangramento e fomos ao hospital. Saímos de lá arrasados com as palavras desconfortantes do médico. No dia seguinte o sangramento se intensificou e retornamos ao hospital.

Pela noite, vi e senti meu bebê indo embora, foi a pior dor da minha vida.

Momentos difíceis

Foi um momento muito difícil da minha vida e ali se iniciou um quadro depressivo. Comecei a questionar muito à Deus, por que isso tinha acontecido comigo? Quem já passou por um aborto sabe como é difícil superar esse momento, e todas as dúvidas e o desespero que toma conta da nossa mente e coração. Foi através de uma adoração que recebi a cura da depressão e então fiquei mais calma para continuar as tentativas.

A ginecologista havia pedido um intervalo de 6 meses até as investigações serem concluídas. Foi então que no final do ano, fiz os exames e descobri um desequilíbrio hormonal, e o mais grave deles era a deficiência de progesterona, o que ocasionou a minha perda. Sendo assim, engravidar naturalmente sem a dosagem hormonal adequada poderia se tornar algo demorado e arriscado. Então, minha ginecologista passou o tratamento com indutor e a progesterona por 3 meses. Iniciei o tratamento com ambos quando estávamos no início do quarto ano de casamento. Porém, sem sucesso no primeiro e segundo meses.

Meu bebê arco-íris

Foi então que em abril, no terceiro ciclo e após um ano da minha perda, meu milagre começou! Resolvi comprar os testes de ovulação e os de gravidez de alta sensibilidade. Já era o terceiro ciclo e temia que não fosse dar certo. Comecei a usar os testes de ovulação desde o primeiro dia fértil, e com precisão eles positivaram, ovulei por volta do 15º dia do ciclo. Os testes me ajudaram muito a identificar a ovulação pois eu tinha que fazer coito programado (relação no dia da ovulação) com abstinência sexual de 5 dias.

Fizemos tudo certo, e coração de mãe não se engana, faltando 6 dias para a data prevista da menstruação, algo tocou meu coração para fazer o teste de gravidez. Mesmo ainda achando que iria dar negativo por ser muito cedo, resolvi fazer. Era dia das mães e mesmo tão longe do dia da próxima menstruação, o teste deu positivo! Eu e meu esposo ficamos imensamente felizes, nosso bebê arco-íris havia finalmente chegado!

Hoje estamos muito agradecidos, e a nossa doce Maria Teresa nasceu em 16/01/2020 de parto normal.

Nossa princesa recém-nascida

Ainda que a vida de espera seja dolorosa e cheia de incertezas, não ousem em lutar até o sol surgir, ao fim da tempestade sempre vem o arco-íris.

Nosso arco-íris

Se quiser conversar, me segue no Instagram: ​@stephanie_freires16

Com carinho,
Stephanie

Para conhecer mais histórias clique aqui