O intestino preso é um mal que acomete, em média, 80% dos bebês, principalmente após os 6 meses de vida quando é iniciada a introdução de novos alimentos além do leite materno. Por isso, é importante a mamãe oferecer bastante água nessa fase, de forma a ajudar na digestão e colaborar para fezes mais macias.

Raramente os bebês sofrem com intestino preso durante a amamentação exclusiva, mesmo sendo algo tão comum, pois apesar do intestino ainda estar em processo de adaptação, o leite materno ajuda a manter a frequência das fezes e seu aspecto pastoso. Lembrando que a alimentação da mamãe também é essencial, já que constitui o leite do qual o bebê se alimenta. Assim, deve-se evitar comidas gordurosos e refrigerantes, por exemplo. Ao seguir uma dieta saudável seu bebê terá menos chances de sofrer com intestino preso e cólicas.

Já bebês que se alimentam de leite artificial costumam sofrer com prisão de ventre até mesmo antes dos 6 meses de vida. Por se tratar de uma fórmula pode não haver adaptação de primeira, causando desconforto no bebê, fora que algumas mamães acabam preparando errado, piorando a situação.

Não existe uma regra relacionada à quantidade diária de cocô que um bebê deve fazer, pois cada organismo tem seu ritmo, alguns são mais preguiçosos, outros menos. O ideal é a mamãe ter atenção ao ritmo do seu bebê e, na ausência ou espaçamento muito grande, ficar em alerta. Algo também muito importante é o aspecto do cocô, que não deve ser ressecado e nem duro. É normal o bebê fazer caretinhas na hora do cocô, mesmo que esteja pastoso. As mamães aprendem a identificar quando seus bebes estão fazendo força justamente por conta das caras e bocas desse momento. Normalmente, bebês que têm o intestino preso sofrem bastante nessa hora, já que sentem vontade de fazer cocô, fazem força, passam por torturantes cólicas e não conseguem soltar nada, deixando a mãe sem saber como agir.

O que Posso Fazer Para Ajudar o Intestino Preso do Meu Bebê?

 

Existe uma série de medidas que podem ser tomadas para reduzir o incômodo do intestino preso nos bebês, além do cuidado com a alimentação da mãe, no caso de amamentação exclusiva, ou com o preparo das fórmulas.

Agora, quando os bebês já saíram da alimentação exclusiva e iniciaram as papinhas, as mamães podem contar com um montão de alimentos para auxiliar no processo de digestão e adaptação dessa fase. Confira algumas dicas:

  • Aumente a quantidade de fibras na alimentação. Você encontrará fibras nas verduras, frutas e cereais integrais.
  • A ingestão de água é fundamental para a hidratação e para auxiliar na digestão dos alimentos.
  • Adquira o hábito de fazer leves massagens na barriguinha do bebê, logo abaixo do umbigo. Faça massagens circulares que aliviam e acalmam.

No caso de bebês que tomam fórmula, é legal conversar com o pediatra sobre uma possível alteração no tipo de leite que você está oferecendo, já que pode ser a causa do intestino preso. No geral, dicas como uso de água de ameixa e chás para acalmar são ótimas opções também, lembrando que crianças até 1 ano de idade não devem ingerir mel. Em último caso seu pediatra receitará supositório de glicerina, uma alternativa de emergência, pois o uso frequente pode deixar o bebê acostumado e aí ele não vai conseguir mais fazer sozinho e naturalmente. Outra alternativa do pediatra pode ser a lavagem retal, o que ajuda bastante mas é feita no hospital por um profissional.

Veja também: Prisão de Ventre em bebê – Como detectar e o Que Fazer

Foto: sean dreilinger