A grande maioria das mamães ao ouvir que o bebê está com candidíase se assusta e questiona a possibilidade, já que se trata de uma doença conhecida entre mulheres adultas. Mas sim, saiba que é possível e que não afeta somente a área genital, podendo acometer a região da boca e gerar algo também conhecido como “sapinho”.

A candidíase, ou cândida albicans, como é conhecida cientificamente, é uma infecção que afeta a mucosa bucal, estourando pequenas bolinhas embranquecidas no interior das bochechas, língua e céu da boca. Lesões bem doloridas que costumam dificultar a alimentação e aparecem, principalmente, em bebês com até 2 meses de vida. Outra possibilidade e, ainda mais assustadora para mamães, é a candidíase encontrada na área genital do bebê, acometendo principalmente aqueles que ainda utilizam fraldas. A condição gera uma vermelhidão bem parecida com assaduras e causa bastante coceira. É normal surgirem também pequenas bolinhas ao redor, parecidas com espinhas, que não vão embora com uso de pomadas para assaduras convencionais.

O fungo da candidíase está presente no sistema digestivo de todo ser humano e não representa mal algum, porém ele se manifesta em certas situações, como:

  • Imunidade baixa
  • Utilização de antibióticos
  • Alterações hormonais
  • Portadores de diabetes e HIV

Pode também ser passado da mãe para o bebê através da amamentação, durante a passagem vaginal no parto normal (caso a mãe esteja com candidíase vaginal) ou quando do contato com bicos de mamadeira infectados.

Como Tratar a Candidíase em Bebês?

No caso de candidíase bucal ou sapinho, é aconselhável consultar um pediatra para verificar a gravidade ou, ainda, para confirmar o diagnóstico. Geralmente, uma medicação antifúngica é receitada, sendo que para bebês em fase de amamentação é a mãe que deve passar uma pomada específica nos mamilos. Mamães diagnosticadas com candidíase vaginal e que tiveram um parto normal, devem ter seus bebês tratados com antibióticos para que não manifestem reações. Já em casos de bebês que adquirem essa candidíase, o aconselhado é utilizar soluções à base de violeta genciana, manter o local limpo e seco e evitar contato com qualquer produto que tenha essências como, por exemplo, lenços umedecidos. O ideal é limpar o local com água e sabão neutro e, se possível, não deixar a região da fralda muito abafada.

A candidíase, tanto oral como genital, pode ser bem dolorida, mas raramente é considerada problema grave. No entanto, vale ficar em alerta caso os sintomas não desapareçam em cerca de 2 semanas. Aí, é importante consultar novamente o pediatra para definir uma abordagem de tratamento, já que a candidíase, principalmente oral em bebês, afeta a alimentação e pode provocar perda de peso.

Veja também: Refluxo em Recém-Nascido – Como Identificar?

Foto: Daniel Horacio Agostini