Um dos mais comuns imprevistos em uma gestação é a placenta prévia ou placenta baixa. A placenta é o suporte ao bebê por toda a gravidez. Pela placenta o bebê recebe todos os nutrientes precisos para crescer forte e saudável.

O fluxo de sangue que a placenta fornece contém tanto alimentos como oxigênio para o feto e ela começa a se formar no mesmo momento em que o feto se implanta no útero. O blastocisto (bebê em formação) se divide em duas partes, uma virará a placenta e a outra o bebê. O problema é quando a placenta se aloja e se fixa em um lugar complicado para a gravidez.

O que é Placenta Prévia?

A placenta prévia se caracteriza com a sua localização mais abaixo no útero. O local ideal para que a placenta esteja seria no alto do útero e em alguns casos ela se localiza abaixo bem próximo ou em cima do colo uterino que dificultaria muito um parto normal.

A placenta baixa pode se firmar inicialmente abaixo mas com o passar da gestação e com o crescimento do útero ela sobe e se localiza corretamente. Se até a 20ª semana a placenta ainda apresentar parcialmente prévia ainda há tempo para que ela suba e se localize corretamente.

Vídeo Explicativo

Tipos de Placenta Prévia

Existem três tipos de placenta baixa ou prévia e cada um com seus riscos e suas particularidades em estágios diferentes. Os tipos de placenta prévia são:

  • Placenta Marginal: Tipo de placenta prévia que apenas se aproxima do colo uterino não oferecendo nenhum empecilho ou maior problema para a gestante. Esse tipo de placenta prévia não impede que o parto normal aconteça.
  • Placenta Parcial: Do tipo de placenta prévia que cobre parcialmente (um pedaço) o colo do útero. Esse tipo de placenta pode sim impedir um parto normal.
  • Placenta Total: O tipo de placenta prévia que mais proporciona preocupação para os médicos em relação ao parto e outros problemas que uma placenta prévia pode trazer. Nesse caso a placenta cobre por completo o colo uterino e nem com o crescimento do útero foi trazida para cima em sua localização.

Causas da Placenta Prévia

A placenta baixa / prévia acontece sem causas aparentes, ela simplesmente se desenvolve em locais indesejados, porém alguns fatores contribuem para que ela aconteça. Gravidez gemelar, onde teria mais de uma placenta; muitas gravidezes anteriores, formato diferenciado de útero (bicorno ou septado por ex.), uma curetagem mal feita que poderia resultar em cicatrizes ou cirurgias de retirada de endometriose.

Vídeo Explicativo Famivita

O principal problema que a placenta prévia traz para a gestante, realmente é na hora do parto, se ela opta por um parto normal e tem uma placenta baixa total, por exemplo, seria impossibilitada de dar a luz de forma natural. Outro problema que a placenta prévia causa são os sangramentos.

Eles podem acontecer em qualquer estágio da gravidez e um simples movimento do bebê pode ocasionar um sangramento de placenta. Alguns casos de placenta prévia ou placenta baixa são mais delicados que outros e esses têm recomendação de repouso para ajudar a conter os sangramentos.

Se mesmo assim o repouso não for suficiente, a internação da gestante pode acontecer para um monitoramento mais ostensivo. Algumas mulheres podem apresentar placenta prévia na gestação e nem notarem! Aliás a maioria dos casos apenas recebe a constatação do diagnóstico em exames de imagem (ultrassom).

A placenta prévia ou placenta baixa não traz maiores riscos nem para a mãe nem para o bebê. Se houverem muitos sangramentos durante a gestação o médico deve dar suporte a gestante. Porém a maioria dos casos de placenta prévia se resolve até as 36 semanas de gestação sem que nenhuma medida precise ser tomada.

O Metilfolato é extremamente importante na gravidez, isso porque ele ajuda a boa formação do tubo neural do bebê nas primeiras semanas e continua tendo papel importante durante toda a gravidez. Não deixe de tomar sua vitamina pré natal! Indicamos a FamiGesta com quantidades adequadas de Metilfolato.

Veja também: Grau da Placenta – Desvendando Grau 1, 2 e 3

Foto: Petar