Essa é para as desprevenidas de plantão! Não é incomum ver questionamentos aqui no site sobre a tal ejaculação interna e as famosas frases (desculpe o termo, mas é assim mesmo que perguntam): “Ele gozou dentro! E agora? Será que corro o risco de engravidar? Tomo anticoncepcional, mas corro risco mesmo assim?”. Para eliminar todas as dúvidas de uma vez, que tal algumas dicas e esclarecimentos sobre a ejaculação interna na mulher?

Para começar, devemos lembrar que qualquer relação com ejaculação interna é passível de gravidez. Porém, para que ela aconteça é indispensável que a mulher esteja no período fértil. Ou seja, sem que esteja ovulando é praticamente impossível a mulher engravidar. Agora, pode acontecer da mulher ovular em outros períodos que não estava esperando, como as tais ovulação tardia ou precoce, e o casal ser pego de surpresa com uma gravidez.

O importante é que a mulher conheça seu corpo. E por mais esquisito que possa parecer, o muco cervical dá pistas sobre a fertilidade. Quanto mais elástico estiver, mais fértil a mulher está! Por isso, recomenda-se evitar relações com ou sem ejaculação interna. Mesmo com ejaculação externa, o famoso coito interrompido, é possível a mulher engravidar caso esteja no período fértil. O coito interrompido pode levar à gravidez pois existem espermatozoides no líquido de lubrificação pré ejaculatório. Esses poucos espermatozoides podem se juntar ao óvulo e aí, a gravidez acontecer.

Situações Reais e o Risco de Engravidar

Vou simular algumas das situações mais recorrentes em comentários para ajudar a esclarecer dúvidas e facilitar o entendimento dos riscos que uma mulher corre quando tem relações desprevenidas com seu companheiro ou até mesmo um ficante, namorado, etc.

“Minha menstruação começou dia 01 de setembro e foi embora dia 7. Dia 9 eu tive relações sexuais com ejaculação interna e após alguns dias comecei a sentir sintomas como dores de cabeça, enjoo, náuseas e tonturas. Será que estou grávida?”

Neste caso, a gravidez é possível, mas depende da duração do ciclo da mulher. Se ela tem ciclos curtos, de 24 ou 21 dias, por exemplo, é possível ter ovulado assim que terminado o fluxo menstrual. Porém, os sintomas não indicam 100% gravidez, podendo apenas ser um sinal de que a mulher ovulou ou que está com alguma alteração hormonal. Quando os índices de progesterona sobem, por exemplo, podem gerar sintomas que dão impressão de gravidez. O segredo neste caso é esperar o atraso menstrual e se os sintomas continuarem, fazer um teste para determinar se há ou não gravidez.

“Tomo anticoncepcional há 2 anos (mais ou menos) e esqueci algumas pílulas (ou deixei de tomar injeção neste ciclo). Durante esse tempo eu tive relações sem proteção com ejaculação interna. Tive sangramentos do tipo borra e com um pouco de sangue. É possível ser gravidez?”

Sim. Se a mulher não tomar corretamente o anticoncepcional e tiver relações durante o período, é possível engravidar! Isso porque, pode-se abrir um período fértil em qualquer momento pelas falhas da medicação no organismo. Agora, a falta de medicação pode também gerar pequenos escapes e até sangramentos durante o ciclo com esquecimento da pílula, gerando confusão com o sangramento de nidação. Mas lembre-se, a grande maioria dos sangramentos não são de implantação, eles são a exceção e não a regra. Porém, se o período não vier na pausa e corretamente, é recomendável fazer um teste para verificar.

“Tive relações próximo ao meu período fértil e meu marido (namorado) ejaculou dentro. Logo em seguida tomei a pílula do dia seguinte, porém tenho tido enjoos, tonturas, náuseas e dores na barriga. Também parece que a barriga está mais dura. É possível estar grávida?”

A pílula do dia seguinte é à base de progesterona e pode dar sintomas iguais aos de gravidez. Porém, se você estava no período fértil, o risco de gravidez ainda existe. Apesar de ter sido desenvolvida com a finalidade de impedir a gravidez, como método de emergência, a pílula do dia seguinte não é 100% eficaz. Por isso, o recomendado é que durante a relação fosse utilizado um método mais eficiente como o preservativo, por exemplo. Se a menstruação não vier em alguns dias, é aconselhável fazer um teste.

“Estava tendo alguns “amassos” com meu namorado e ele chegou com o pênis bem próximo à minha vagina, roçou, mas não introduziu. Também não houve ejaculação interna e nem fora, mas mantivemos contato. Ainda sim há possibilidade de engravidar?”

Sim. Se houve contato é possível, porém difícil que aconteça. O ideal é usar preservativo ainda nas “brincadeiras” sexuais. Conforme o clima esquenta, o casal deve se prevenir para não ter preocupações futuras.

Se houver relação sexual com ejaculação interna e a menstruação atrasar, é importante fazer um teste para verificar a existência de gravidez. Mesmo quando a menstruação vem com um ciclo mínimo, mas ainda há fluxo e é pouco provável que haja gravidez, é importante fazer um teste para eliminar a possibilidade. Se não houver gravidez, mas a menstruação continuar atrasada, recomenda-se ter uma consulta com o ginecologista para verificar o motivo do atraso menstrual. Resumindo: relações com ejaculação interna ou externa são passíveis de terminar em gravidez.

Dica importante: para mulheres que estão preocupadas se estão ou não grávidas, é muito bom ter em mão testes de confiança e com a melhor sensibilidade possível. Por isso, indicamos os testes de gravidez que conseguem detectar uma gestação até 3 dias antes do atraso menstrual. Os testes da Famivita são assim e você pode saber mais sobre eles aqui.

Veja também: Menstruação Borra de Café – O que é isso?

Foto: estherase